sexta-feira, 12 de agosto de 2016

O que realmente queremos quando comemos comida saudável?




Hoje me veio a cabeça a seguinte indagação "O que realmente queremos quando comemos comida saudável?" a resposta parece ser obvia: 

"Queremos comer comida saudável para ter saúde!" 

Será? 

Quando vejo algumas pessoas comendo algo saudável há um misto de tristeza e esperança que logo logo aquilo vai passar e finalmente elas poderão se entregar a uma bela e maravilhosa "G-O-R-D-I-C-E"*

Parece mais como cumprir o dever da semana e no fim de semana ganhar a recompensa 
Por que essa comida é menos gostosa do que as famosas “gordices”? 
A espera pelo dia em que possa se empanturrar de coisas consideradas gostosas antecipada por dias comendo arroz, feijão, carne grelhada, vegetais e frutas é quase um martírio. Come porque é obrigado, come porque a nutricionista mandou, come porque seus (suas) amigos (as) estão vivendo uma vida saudável e você não vai querer ficar de fora e correr o risco de ver o ponteiro da balança girar no sentido horário. 

Mas água na boca mesmo você sente quando pensa ou vê a pizza, feijoada, o torresmo, bolo de chocolate com cobertura de brigadeiro, que em nada se assemelha com o gosto saudável e picante da rúcula, doce da cenoura ou amargo da escarola. 

Precisa ser sempre assim, essa eterna luta de comer o "certo" e querer o "proibido"? 

Não, não precisa ser assim! 

Primeiro esclarecimento não existe alimentos ruins e bons, mais sim alimentos que devem ser ingeridos em menor quantidade e menor número de vezes devido ao seu poder de aumentar a glicemia (nível de açúcar no sangue), colesterol e provocar o início de doenças como diabetes e hipertensão quando consumidos em excesso. 

Segundo esclarecimento a comida vai muito além da ingestão de nutrientes! Imagine que eu te dissesse que rato é um ótimo alimento, possui todos os nutrientes que um ser humano necessita e que você deve consumi-lo para ter uma vida, perfeitamente, saudável (isso é uma suposição). 

Qual seria sua resposta? 

Um bom e sonoro E-C-AAAAAAA (imaginando que você é brasileiro e não um asiático) 

Isso porque na comida está envolvida a cultura. No Brasil não existe o hábito de comer ratos, então por mais que rato fosse saudável você não o comeria. 

Comida precisa te oferecer sabor e consequentemente prazer. Você precisa se sentir bem comendo aquilo. Come porque quer, porque gosta, porque sente vontade de comer aquilo!!! 

Ah! Então vou agora vou comer só o que eu gosto? 

Calma, não é bem assim! 

O arroz, feijão carne cozida/grelhada/assada, vegetais e frutas precisam estar no seu prato. O legal de comer é poder provar as diferentes texturas e sabores dos alimentos. Quando não existir mais guerra na sua alimentação você verá que o sabor do arroz e feijão temperados, o gosto amargo e adocicado dos vegetais, azedo e doce da frutas tem seu charme e gostosura tanto quanto a pizza, bombom e o bolo de chocolate. 

Para ter uma boa relação com a comida você precisa estar disposto a provar todos os sabores que os alimentos têm a oferecer e descobrir o prazer que cada um pode te proporcionar sem julgamento antecipados.

Faça a experiência! E depois compartilhe aqui no blog e não fique com vergonha, sua vivência pode ajudar outra pessoa a iniciar uma boa relação com a comida. 

Gostou do texto? Curta, comente e compartilhe! 

*Nota da autora: a palavra "Gordice" foi usada para exemplificar como as pessoas qualificam certos tipos de comida, mas de nenhuma forma a autora concorda com esse tipo de classificação da alimentação. 

Leia também! 




6 comentários:

  1. Obrigada por nos enriquecer com seu conhecimento.

    ResponderExcluir
  2. É um prazer compartilhar meu conhecimento e contribuir para a alimentação saudável das pessoas.
    Grande abraço, Luciene!

    ResponderExcluir
  3. Oi Josi,adorei a ideia de que não existem alimentos bons ou ruins,certos ou errados e que tudo depende de como eles são administrados. Eu gosto muito de um bom prato de comida cheio de cores,mas gosto tanto quanto de guloseimas,como posso dosar isso?
    Bjos e obrigada pela atenção.
    Sheila Araújo.

    ResponderExcluir
  4. Oi, Sheila! Quantos doces você consome por semana?

    ResponderExcluir
  5. Antes de começar a trabalhar, eu só comia coisas fritas, em 90% das minhas refeições, por preferência e facilidade de todos aqui em casa. Posso até trabalhar no pior lugar do mundo (minha opinião), mas aprendi que o grelhado é muito mais gostoso que o frito, que a rúcula combina com tomate seco (e olha que eu odeio tomate), que o brócolis e o couve flor cozidos e temperados do jeito certo ficam gostosos. No começo tive muita relutância em mudar meu jeito de comer, porque eu, acostumada com o frito, comer coisas que não tinha aquele óleo que chegava a molhar o prato, passar a comer coisas não tão gordurosas, foi difícil. Claro que algumas coisas eu ainda resisto em comer, ou provei e achei horrível, mas prefiro comer do que passar fome, então sempre me aventuro em comidas novas e outras formas de fazer a mesma coisa, porque isso muda completamente o jeito que eu vou receber a comida.

    ResponderExcluir
  6. Linny, exatamente isso. Precisamos ter abertura para provar e descobrir os sabores das comidas, antes de dizer que não gostamos. Fico muito feliz que você tenha mudado os seus hábitos alimentares.
    Ps: amo tomate seco hahaha
    Abraço

    ResponderExcluir