Prazer em comer: Entenda como ele pode revolucionar sua forma de comer!

21:00

Prazer em comer envolver textura, cheiro, sabor, memórias e escolha de alimentos que contribuem para sua saúde! 


Introdução 

O prazer em comer é um dos critérios que o seres humanos utilizam para escolher alimentos que vão consumir. Avaliar se a comida proporcionará satisfação e bem estar é importante para ter uma alimentação saudável. Mas, pera aí! Saudável e prazer em comer na mesma frase? Não combina para você essas duas palavras na mesma frase? 

Para muitas pessoas o prazer com a comida está atrelado a comer alimentos açucarados e gordurosos e os outros alimentos seriam ruins e considerados da "dieta". É uma  ideia infeliz pensar no prazer em comer dessa forma. Que saber o porquê continue lendo o texto!  

Sabores

A nossa língua apresenta as papilas gustativas que são células responsáveis por identificar o sabor do alimento que estamos comendo. 

A molécula de sabor se liga ao receptor e este envia uma resposta ao cérebro, fazendo com que este identifique o sabor que está presente naquele momento. 

Os sabores são doce, salgado, amargo, azedo e umami. Sim, existe um quinto sabor que foi identificado recentemente, ele é composto por uma substância chamada glutamato. Você pode encontrar esse sabor em queijo e carnes. 

O umami também pode ser encontrado em alimentos ultraprocessados, como salgadinho e temperos prontos. Na lista de ingredientes você o encontra como como glutamato monossódico, porém são usadas altas quantidades para potencializar o sabor, que quando consumido em excesso pode provocar o surgimento de hipertensão arterial. 

Por que sentimos prazer em comer 

O sabor é um fator importante para sentirmos prazer em comer, mas a substâncias também são importante. 

Serotonina, substância responsável pelo humor e bem estar pode ser produzida a partir da substância triptofano, presente no chocolate. 

Mas apenas isso é determinante para o prazer?

Não, os 5 sentidos desempenham um papel crucial no prazer. 

Um chocolate com um cheiro bom, com uma textura macia que se desfaz quando entra em contato com a boca, o barulho da mastigação, o gosto doce que desprende dele quando começamos a mastigar, fecha com chave de ouro. A sensação de prazer é certeira. 

Imagina uma batata frita que tem um gosto ótimo, porém está bem murcha...Você acha que ela vai fornecer a mesma sensação de prazer? Provavelmente não! 

A experiência que você teve com aquele alimento também conta. Se chocolate te lembra algum episódio triste pode ser que você evite comer esse alimento, mesmo ele despertando seus sentidos e contendo substância que influenciam diretamente na produção de serotonina. 


Alimentação saudável e prazer 

Você consegue imaginar uma alimentação rica em alimentos naturais aliada com prazer? 

Josi, pra mim prazer em comer sempre envolve doces, principalmente chocolate e sorvete.

Uma alimentação prazerosa inclui sorvete e chocolate, mas também inclui os alimentos naturais. Por diversos motivos associamos prazer sempre com alimentos ricos em açúcar e gordura, mas isso não é uma verdade absoluta. 

As dietas contribuem com essa visão propagando uma alimentação baseada em alface, tomate e filé de frango grelhado e dizendo que é isso que você precisa comer por dias infinitos. O primeiro dia você vai animado, segunda já fica meio assim, terceiro você está cogitando desistir, quarto dia não aguenta ver mais tomate, alface e frango na sua frente. 

Isso acontece porque a falta variedade e essas dietas acontecem sob um momento de tensão e estresse, logo a associação é que alimentos naturais são ruins e não prazerosos. 

Sabe por quê isso acontece? 

Porque você quer ter uma alimentação funcional ou provar as novidade nas comida sem desenvolver o prazer pelos mais variados tipos de alimento, você pula uma etapa importante. 

Na pirâmide abaixo existe a hierarquia de necessidade de comida. Na base temos comida suficiente que se refere a comida em quantidade suficiente para satisfazer sua fome, depois aceitável, ou seja, se tem boa qualidade nutricional e é socialmente aceitável, comida segura, uma comida aceitável e que cabe no orçamento da família, comida saborosa, uma comida que desperta os sentidos e memórias e as duas ultimas são novidade em comida e comida funcional. 


Reprodução: Livro Nutrição Comportamental

Por exemplo, você escolhe 10 unidades de uva, pois elas vão satisfazer sua fome, estão higienizadas, é rica em resveratrol (um composto antioxidante), porém está muito azeda. Qual a chance de você continuar comendo a uva? Se você sentir prazer comendo alimentos muito azedo pode ser que continue, mas se é o contrário você vai parar de comer. 

Percebe como o prazer é importante? Contar apenas com a propriedade nutricional para comer não é o suficiente, o prazer é um critério tão importante quanto os nutrientes. E é justamente essa a maior dificuldade das pessoas em comer alimentos naturais, pois não desenvolvem o prazer por come estes alimentos. 

A boa notícia é que isso é possível desenvolver! Como? Persistindo e tornando um hábito, mas é possível também investigar como foi a introdução de alimentos, sua relação com a comida na infância, sua rotina alimentar, vivências de dietas.

Josi, eu sinto dificuldade em gostar desses alimentos, pois sou viciada (o) em ... (complete com o alimento da sua escolha).

Vício em comer 

O prazer em comer pode ser confundido com exagero e vício em comer. Uma cena clássica é um pessoa comendo infinitas barras de chocolate de uma única vez. Por causa desse imaginário muitas pessoas acham que o prazer em comer não está presente em uma alimentação saudável. 

Lembrando que o prazer anda de mãos dadas com o equilíbrio. E o vício? Existe vício em comida? 

Primeiro, o vício se caracteriza por alguma substância capaz de fazer modificações químicas no cérebro, provocando a dependência. 

As pesquisas até o momento não identificaram nenhuma uma substância nos alimentos que fosse capaz de fazer alterações químicas no cérebro, mas pode existir o vício em comer. Isso corresponde mais ao comportamento da pessoa e não a comida em si, segundo informações presente no site de especialização em transtorno alimentar da USP. 

Conclusão

Prazer na hora de comer faz parte uma alimentação saudável, escolher a comida apenas pelo nutriente não é indicado, aliás a propriedade nutricional é a ultima escolha de acordo com a pirâmide de Satter. 

As pesquisam indicam que comida não vicia, mas o comportamento impulsivo da pessoa pode caracterizar o vício em comer. 

E você come com prazer? Gosta de alimentos naturais? Conte para mim na caixa de comentários abaixo, vamos aprofundar a discussão!








  • Share:

You Might Also Like

2 comentários

  1. Tenho prazer em comer coisas de padaria, só Deus sabe o quanto uma vitrine de padaria me deixa feliz.
    As vezes o boy faz umas comidinhas deliciosas, mas a aparência é horrível, por isso ele sempre pede pra eu provar antes de dizer alguma coisa e o que perde na aparência, ganha no sabor.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Aline, um ótimo exemplo de como o gosto e aparência do alimento nos impulsiona a comer. E produtos de padaria são muitos gostosos mesmo :)

      Excluir